7 sintomas da esclerose múltipla que você precisa conhecer

samelblog
8 de junho de 2021

Alguns sintomas da esclerose múltipla costumam surgir de forma discreta e com o tempo vão se intensificando. Entretanto, é possível retardar a progressão da doença, desde que o paciente seja diagnosticado e tratado precocemente.

Então, quais são os sintomas da esclerose múltipla? 

Nesta matéria, a Samel vai mostrar 7 sinais da doença que você não pode ignorar. São sintomas típicos da fase inicial até a fase mais avançada. Acompanhe!

Antes de tudo, o que é a esclerose múltipla?

A esclerose múltipla é uma doença neurológica, crônica, progressiva e autoimune. Ocorre quando o sistema imunológico destrói a bainha de mielina, “capa” que reveste os neurônios. Estes são células responsáveis por enviar comandos do cérebro para o corpo. 

Esse processo acaba causando lesões no cérebro e na medula, comprometendo o sistema nervoso. Uma vez que o sistema nervoso é afetado, o paciente deixa de receber os comandos do cérebro e experimenta a perda de várias funções do corpo

Ao contrário do que muita gente pensa, a doença não acomete somente idosos. A maior parte dos casos ocorre entre 20 e 50 anos de idade, e atinge principalmente mulheres brancas.

Ainda não se sabe o que exatamente causa a doença. Mas acredita-se que fatores genéticos, ambientais e até mesmo um tipo de vírus sejam fatores de risco. 

Como os sintomas da esclerose múltipla começam?

A esclerose múltipla é uma doença chamada remitente-recorrente. Ou seja, seus sintomas e crises vão e voltam, e podem durar cerca de uma semana.

Os intervalos das crises também variam, podem durar meses de um para o outro. Por esse motivo, muitos pacientes acabam ignorando os sinais da doença.

Pessoas com esclerose múltipla na fase inicial ficam, em média, três anos com leves sintomas até que eles acabam se intensificando.

E, por falar em sintomas, veja a lista dos sinais mais comuns da doença:

1. Neurite ótica

Neurite ótica nada mais é do que a dor aguda em um dos olhos. A dor fica ainda mais intensa com o movimento ocular. A neurite também vem acompanhada de visão dupla ou borrada, além do movimento involuntário do olho.

Na maioria das vezes, a neurite ótica ocorre apenas em um dos olhos. Quando o sintoma acomete os dois olhos de uma vez, pode ser sinal de um outro transtorno neurológico. 

Confira também:

Mal de Parkinson tem cura? leia e saiba mais sobre a doença

Como as vacinas agem no organismo de uma pessoa? Leia e descubra

2. Formigamento e dormência

Estes sinais, principalmente nos membros (braços e pernas), ocorrem de um lado do corpo de cada vez. São sintomas comuns em pacientes com esclerose múltipla, presente em quase 100% dos casos.

3. Fadiga

O sintoma pode vir a qualquer momento, independentemente da atividade realizada. É um dos sinais mais comuns e incapacitantes da esclerose múltipla. A fadiga fica ainda mais forte quando o paciente é exposto ao calor ou realiza um esforço físico.

4. Problemas de equilíbrio e coordenação

Cerca de metade dos pacientes com esclerose múltipla podem apresentar vertigem. 

Esse sintoma surge principalmente em quem desenvolve o acometimento da face pela doença. Entre os demais sintomas associados estão:

  • Perda de equilíbrio;
  • Tremores;
  • Instabilidade ao caminhar (ataxia);
  • Náuseas;
  • Falta de coordenação;
  • Fraqueza.

A perda da força é inicialmente unilateral, ou seja, só de um dos lados do corpo. Já na fase mais avançada da doença é que torna-se bilateral. Em geral, os membros inferiores sofrem muito mais os efeitos da doença que os membros superiores.

5. Transtornos cognitivos

O paciente também pode sentir dificuldades para memorizar tarefas, assim como para executá-las. Além disso, a dificuldade em resgatar memórias também pode ser um sintoma associado à doença. 

Esses sintomas podem ocorrer independente da presença de sintomas físicos ou motores. 

6. Fenômeno de Lhermitte

É a sensação de choque elétrico que se irradia pela coluna vertebral, acionada por movimentos da cabeça e do pescoço. Este é um sintoma típico de esclerose múltipla, porém pode ocorrer devido a outras doenças neurológicas.

7. Incapacidade de controlar bexiga e intestino

A lesão dos nervos da medula causada pela esclerose múltipla acaba provocando a perda do controle dos esfíncteres anal e da bexiga. 

Dessa forma, a pessoa não consegue controlar o fluxo fecal e da urina, nem perceber quando precisa ir ao banheiro.

Conclusão

Busque atendimento médico assim que notar algum desses sintomas. O especialista irá avaliar o seu caso e conduzi-lo para o tratamento adequado.

É importante lembrarmos que a sobrevida de pacientes de esclerose múltipla atualmente é de 30 a 40 anos. 

Quem nos primeiros 15 anos não apresenta sequelas significativas da doença têm melhor prognóstico e qualidade de vida.

Este artigo ajudou você? Agora que você já conhece os sintomas da esclerose múltipla, fique atento a eles. No blog da Samel você tem acesso gratuitamente a diversos conteúdos sobre saúde. Leia também: Saúde do idoso: conheça as 7 doenças mais comuns da idade

esclerose múltiplasintomas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

Alguns sintomas da esclerose múltipla costumam surgir de forma discreta e com o tempo vão se intensificando. Entretanto...

Alguns sintomas da esclerose múltipla costumam surgir de forma discreta e com o tempo vão se intensificando. Entretanto...

MAIS LIDAS

Resultados apontam redução no tempo médio de internação, no número de mortes e na realização ...

A nova cepa do coronavírus foi identificada no Reino Unido, mas já está presente em ...

Samel trouxe dicas de especialistas para te ensinar como recuperar olfato e paladar perdidos ...